Milhares de pessoas se reúnam nesta sexta-feira (28) no ato público do Dia Nacional de Luta em Bauru. Pela manhã, os manifestantes interditaram um ponto do trecho urbano da rodovia Marechal Rondon e seguiram em passeata pelas avenidas Nações Unidas e Rodrigues Alves, em direção à Câmara Municipal. O movimento foi encabeçado pelas principais centrais sindicais contra os projetos de reformas da Previdência e trabalhista, apresentados pelo governo do presidente Michel Temer.

Na cidade, a adesão pela Greve Geral marcada para hoje também afetou setores como o transporte coletivo e algumas repartições públicas. Contudo, o comércio funcionou normalmente, inclusive na região da Batista de Carvalho. Na madrugada desta sexta-feira, os motoristas dos circulares decidiram aderir à greve geral marcada em nível nacional.

Alguns pontos do município apresentaram um fluxo intenso de veículos no início da manhã. Por volta das 10h, a equipe de reportagem da Az! averiguou que o trânsito já estava no fluxo esperado para o horário, sem congestionamentos em vias como a Marechal Rondon, Av. Duque de Caxias e Av. Getúlio Vargas.

Quem geralmente depende do transporte público teve que buscar alternativas para se deslocar entre os bairros. Um gerente de uma loja de roupas que preferiu não se identificar explica que os funcionários se organizaram em caronas para ir ao trabalho. “Somente um funcionário chegou mais tarde hoje. Quase ninguém quis aderir [à greve] nos comércios do Centro. E o movimento está até acima do esperado”, conta.

Funcionários do Departamento de Trânsito e Policiais da PM ajudaram a organizar o trânsito na região da Avenida Rodrigues Alves (confira a movimentação no trânsito no vídeo abaixo).

Trânsito em Bauru 28/04

Publicado por Revista AZ! Informação de A a Z. em Sexta, 28 de abril de 2017

 

GREVE GERAL – As manifestações ocorreram de forma tranquila, sem necessidade de intervenção da PM. Somente um caso isolado de agressão foi registrado. Os organizadores contabilizam a participação de 10 mil pessoas no ato da manhã. De acordo com a Polícia, o número foi menor, 4 mil manifestantes.

No final da manhã, a passeata percorreu vários pontos do Centro. Na Rua Primeiro de Agosto, por exemplo, manifestantes seguravam cartazes contra o Governo e o Congresso e gritavam palavras de ordem contra o Presidente e as reformas propostas pela equipe econômica do Executivo.

Além de sindicalistas, servidores, representantes de movimentos sociais, populares e estudantes também participaram do ato, trazendo outras pautas no ato. Ao tratar sobre uma reintegração de posse, um dos organizadores do evento entoava do alto de um carro de som diversas críticas ao prefeito de Bauru, Clodoaldo Gazzetta (PSD). O gestor foi chamado pejorativamente  de “boneco de Olinda”, inclusive. O antecessor, Rodrigo Agostinho, no entanto, ganhou um apelido ainda mais jocoso (confira no vídeo a seguir como foi a movimentação no Calçadão e na Rua Primeiro de Agosto).

Comércio de Bauru no dia de protestos contra as reformas do Governo Temer 28/04

Publicado por Revista AZ! Informação de A a Z. em Sexta, 28 de abril de 2017

 

BALANÇO – Além dos motoristas de ônibus, 29 funcionários do DAE aderiram à greve nacional deflagrada nesta sexta-feira (28), a maioria deles (20 trabalhadores) da Divisão Técnica. Em consequência, alguns serviços prioritários como reposição de asfalto, construção de calçadas e reparos em redes de água e esgoto ficaram prejudicados.

Diferentemente de outras cidades, a administração municipal decidiu que não cortará o ponto dos funcionários que aderiram ao movimento, mas eles terão de repor o dia não trabalhado, em concordância com a sua chefia imediata. Entre as escolas municipais de ensino infantil, 44 aderiram à greve; 19 funcionaram parcialmente; Nas escolas de ensino fundamental, 5 escolas não estão funcionando e 12 delas seguem com atendimento parcial.

Caminhões de som, bandeiras de Centrais e movimentos sociais: organizadores criticaram governo e até a gestão municipal, acusada de colaborar com a especulação imobiliária (Foto: Tiago de Moraes/AZ!)

Os manifestantes se dispersaram por volta das 13h, logo após retornarem à Câmara Municipal.