Bauruense Guilherme Baldi edita podcast sobre mundo Pop

Graças às tecnologias e aos métodos para comunicação surgidas desde a segunda metade da década de 1970 e, principalmente, com o boom nos anos de 1990, hoje em dia torna-se difícil imaginar vivermos sem internet, não é mesmo? De modo geral, as novas tecnologias estão associadas à interatividade que nos levam a um mundo de comunicação e vasto alcance.

E, por falar em interatividade, há mais de dez anos o podcast disponibiliza aos usuários episódios de programa na internet que geralmente são gravações de áudio e vídeo. Por tanto, definindo-o como um blog falado.

Só no Brasil, existem mais de 700 podcasts sendo produzidos atualmente. Normalmente, esses arquivos são elaborados em formato mp3, e os usuários podem ouvir online ou baixar o arquivo para ouvi-lo mais tarde.

Randal Bergamasco está na área desde 2011
Randal Bergamasco está na área desde 2011

Para o produtor e editor do Na Porteira Cast, Randal Bergamasco, a mídia podcast assim como o YouTube, possui características que dominam os outros meios de comunicação lembrando também que outra característica marcante dessa mídia é a interação dos produtores com os ouvintes. “A principal característica deste tipo de conteúdo é que ele pode ser consumido quando, onde e da maneira que o usuário quiser. Ele pode ouvir um podcast pelo smartphone, computador, tablet ou no rádio do carro”, avalia Randal.

Produzindo conteúdos diversos e humorados desde 2011, o Na Porteira Cast nasceu em Pederneiras. Em média, são 3 mil downloads por episódio. Ainda segundo Randal Bergamasco, a interação entre os usuários chega a quebrar barreiras quando a comunicação alcança o outro lado do mundo. “No Japão, por exemplo, há um número impressionante de pessoas que acompanham o podcast e interagem conosco. No Brasil, a gente percebe que as maiores audiências são de grandes centros urbanos, como São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Belo Horizonte e Recife. Nos arredores de Pederneiras, nossa audiência se concentra em Bauru, mas é muito abaixo da média das outras localidades. Aqui na região, a mídia podcast tem muito o que crescer”.

De acordo com o PodPesquisa 2014, questionário nacional sobre a audiência de podcasts, cerca de 86% dos usuários procuram ouvir temas de humor e entretenimento, seguido de assuntos como televisão, séries e cinema com quase 69%.

APAIXONANTE

Nascido em Bauru, Guilherme Bald, o Guizaum, é publicitário, e tem 27 anos. Atualmente morando em Brasília, comanda quinzenalmente o podcast Grande Coisa com temas do mundo POP, cinema, TV, quadrinhos, séries, games e até as mais variadas situações do dia-a-dia.

“Podcast é uma mídia apaixonante, quem começa a ouvir quer produzir seu próprio conteúdo. Em 2009 iniciei com Nerdrops, site pioneiro de notícias que semanalmente comentava com humor um resumo dos assuntos mais falados na mídia”, explica.

Apesar de receber mais de 20 mil acessos por mês, um dos desafios de quem produz podcast é a divulgação em massa. As agências de comunicação ainda preferem investir nas visualizações de campanhas em banner ou anúncios em TV. Porém, Guilherme Baldi explica que se o podcast tiver conteúdos voltados para um público-alvo específico, o retorno e a visibilidade pode ser melhor. “Um cast que fala de literatura por exemplo, tem ouvintes que gostam do tema e estão muito mais suscetíveis a esse tipo de anúncio, além do mais, não é um anúncio invasivo, já que normalmente vem com conteúdo relevante”, afirma.

Para o ex-editor do Jovem Nerd, Allan Pollar e atual participante do Grande Coisa, a mídia ainda é baseada no boca a boca. “No Brasil funciona assim, alguém ouve, acha legal e recomenda para os outros, mas ainda falta um instrumento de divulgação em massa realmente eficiente para a mídia”, afirma Allan.

SEMEANDO PENSAMENTOS

Luciano Dias Pires, veterano na veiculação dos podcasts
Luciano Dias Pires, veterano na veiculação dos podcasts

Considerado um dos destaques desse segmento no país, o Café Brasil é dirigido pelo escritor bauruense Luciano Pires. Foi a partir de um programa apresentado em uma rádio local que decidiu criar seu podcast em setembro de 2006. De lá pra cá soma-se em média 200 mil downloads por mês. Não é uma tarefa fácil. Provocar e instigar reflexões nas pessoas sobre o cotidiano leva tempo e dedicação na produção de um podcast.

“Se pego um assunto que vem sendo muito discutido pela sociedade, vou procurar um ângulo de abordagem diferente, uma posição original, algo que abra uma nova perspectiva para quem estará ouvindo”, observa Luciano, citando polêmicas como possíveis casts mais ouvidos e debatidos.

Praticando uma espécie de “fitness intelectual” desde seu primeiro podcast, Luciano também falou sobre seus desejos de ver sua cidade natal em uma posição mais confortável de se viver. “Uma coisa que eu gostaria de um dia escrever é sobre a falta que Bauru tem de um “norte”. Depois que as ferrovias foram abandonadas no final dos anos 60, a cidade perdeu o rumo. É uma cidade do agronegócio? Da indústria? Da educação? Não se sabe. Essa falta de foco e de perspectiva, aliada às administrações desastrosas que a cidade experimentou ao longo dos anos 90, fizeram com que perdêssemos a oportunidade de investir em planos de longo prazo”, finaliza o escritor apostando em uma sociedade mais pensativa.

VOCÊ SABIA?

  • Dia 21 de outubro é comemorado o dia do podcast no Brasil. Essa data foi escolhida porque foi lançado o primeiro episódio de um cast brasileiro, em 2004, chamado Digital Minds – já extinto.
  • A palavra podcast vem dá junção das palavras “Pod” – uma referência ao dispositivo iPod da Apple – Com a palavra “Broadcast” – que significa transmissão, em inglês.
  • O principal podcast do Brasil na atualidade é o Nerdcast que, segundo informações do Mídia Kit, chega a 350 mil downloads por semana. No entanto, esse número ainda está longe de alcançar os Estados Unidos. Um levantamento feito em 2014, apontou que a podosfera norte-americana conta hoje com cerca de 75 milhões de ouvintes.

LINKS PARA OS PODCASTS CITADOS